Jornalismo Transmídia

mercado-ecommerce-redes-sociais-7-dicas-conquistar-clientes

Oi, galera!

Quando falamos em narrativas transmidiáticas, logo lembramos das campanhas publicitárias de grandes marcas e das séries de televisão mundialmente famosas, com conteúdos espalhados nos mais diversos meios, para proporcionar ao espectador experiências que o deixam cada vez mais imerso no universo explorado.

Mas, por que não aproveitar as possibilidades do jornalismo transmídia? O site Rede de Jornalistas Internacionais  fez uma lista com cinco dicas para criar matérias dessa forma.

Confira:

Mantenha o conteúdo único

Em vez de repetir a informação em diferentes plataformas, use diferentes partes de uma história para combinar com a força de uma plataforma e maximizar a experiência do usuário. Um projeto chamado “Culture of Coffee” (Cultura do Café) combina trechos especiais das matérias com diferentes formas de mídia. O criador do projeto Metasebia Yoseph descreve as raízes e tradições do café em um blog no Tumblr, um site, um livro de mesa de café (em andamento), eventos ao vivo, rede social e página de crowdfunding.

Forneça um ponto de entrada coerente

Porque o engajamento público é central para esta forma de contar histórias, certifique-se de que a plataforma utilizada faça com que o leitor interaja de uma forma muito simples. “A interface é crucial; nada acaba mais rápido com um esforço ambicioso em multiplataforma do que um ponto de entrada grosseiro”, escreveu Jessica Clark, estrategista de mídia do AIR, num resumo anual de projetos exemplares de transmídia.

Faça parcerias

Não é possível esperar que um jornalista faça tudo. Parcerias são importantes. Várias organizações colaboraram no projeto transmídia NYC Stillspotting, que utiliza vídeo, mapas interativos, áudio e estudos de dados para criar uma matéria sobre os níveis de barulho em Nova York.

Mantenha o custo-benefício

“Você pode incorporar a transmídia de uma forma de mais barata, por exemplo, introduzindo as mídias sociais como uma forma de estender a história. Depende de seus objetivos e o que você está tentando alcançar.”

A história é a parte principal

“Existem tantas ferramentas para a criatividade que pode às vezes ser demais para a cabeça”, disse Patrick White, diretor criativo da Arcade Sunshine Media. Ficar preso aos recursos e ignorar os princípios básicos de contar histórias pode prejudicar seu projeto. “A história vem em primeiro lugar, sempre,” disse White.

Vocês podem conferir a matéria completa aqui.

E aí? Gostaram das dicas?

 

Aquele abraço!

Juliana Dias

Anúncios

Cibercultura

Boa noite, galera!

Tava lendo sobre cibercultura e achei um vídeo que pode nos ajudar e ilustrar nossos pensamentos sobre o assunto. É um vídeo do canal Nerdologia, que tenho gostado bastante. Aproveitem!

E pra quem gosta de cinema, o filme Her (Ela) de 2013 também mostra como a sociedade é interligada e como pode ser ainda mais. Quais são suas apostas pro futuro em termos de comunicação + tecnologia?

Publicidade: mocinha ou vilã?

Oi, galera!

Para vocês que estão se aventurando pelo mundo da publicidade, o Media Box traz uma dica de podcast.

Aposto que muitos aqui já conhecem o Brainstorm9,  site que fala sobre criatividade e inovação. Mas, talvez, nem todos saibam que, semanalmente, a equipe se reúne para fazer o Braincast, um podcast que fala de entretenimento e comunicação.

No episódio que escolhi para esta postagem, os participantes tratam de um tema controverso e que vem ganhando destaque: a publicidade vai salvar o mundo?

E aí? O que vocês acham? Será que existe mesmo uma publicidade desinteressada, ou é só oportunismo? Ou, quem sabe, um pouquinho dos dois?

Para quem gostou da sugestão, fica a dica: o Braincast sai toda terça-feira. Já são 150 episódios que você pode ouvir pelo site ou baixar para escutar quando quiser. O B9 tem ainda outros podcasts que você pode conferir aqui.

Aquele abraço!

Juliana Dias

Codificação e Decodificação – Stuart Hall

Oi, gente!
Agora é minha vez de falar sobre as teorias de Stuart Hall. Procurei pensar num tema bem diferente e, talvez, polêmico. Peguei um vídeo imparcial sobre uma discussão bem atual e presente no nosso dia-a-dia: a política. Independente da sua opinião, o vídeo mostra como na prática codificamos e decodificamos mensagens. Podemos concordar totalmente, aceitar somente uma parte ou discordar completamente de um determinado discurso.

O vídeo fala da atual discussão “coxinhas x petralhas” e expõe atitudes de ambos os lados e o porquê de concordarmos ou não com um deles.
Espero que entendam e que gostem do exemplo, espero um feedback de vocês! Ah! Tem um pouquinho de publicidade (CEE II) e do nosso querido jornalismo no vídeo.

Boa semana!
Luiza Quinet

Bem-vindo ao Media Box

Bem-vindos ao Media Box: um site pensado para o estudante de Comunicação. Aqui, você vai encontrar conteúdos sobre as disciplinas Teoria da Comunicação II (TC II) e Comunicação e Expressão Escrita II (CEE II), ministradas no curso de Jornalismo da Universidade Federal de Juiz de Fora.

As postagens na aba Disciplinas estão divididas em duas categorias: TC II e CEE II. Através delas você poderá acessar vídeos, textos e outros conteúdos online que se relacionem com a matéria vista em sala. Além disso, criamos também o espaço Alunos, onde estão armazenados todos os blogs já criados pelas turmas de CEE II e os sites já analisados nos seminários de hipermídia.

Você pode também conhecer um pouco mais sobre os colaboradores do site clicando na página Equipe. Fique à vontade para  nos enviar críticas e sugestões de conteúdo através dos nossos contatos.

Nós do Media Box esperamos que você aprecie e aproveite ao máximo essa experiência. Bons estudos!